CORONAVÍRUS: Prefeito de Timbiras tenta dobradinha e embaraça números para esconder a quantidade de contaminados no município.

Ignorando a transparência que deve nortear os atos da administração pública, o Prefeito Antônio Borba em meio a crescente onda de contaminação pelo Coronavírus em Timbiras, tenta manipular os números por motivos ainda não sabidos.
Vamos explicar melhor…
De acordo com a divulgação oficial da Prefeitura de Timbiras, a cidade possuía até o momento da divulgação:
Ativos em internação hospitalar: 15;
Ativos em isolamento domiciliar: 47;
Recuperados HRT/PSF:64;
Óbitos: 06
Totalizando 132 casos confirmados pela Covid – 19;
Números confusos e duvidosos…
O boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura prossegue com os seguintes números:
Monitorados: 40;
Suspeitos: 375;
Em tratamento precoce no PSF: 64;
recuperados pelo psf através de protocolo precoce: 29 casos;
O que chama mais atenção é para o número de recuperados pelo PSF através de protocolo precoce, uma vez que essa quantidade de 29 casos não está somada aos 132 casos confirmados. O obvio é que para a pessoa se recuperar ela precisa ter sido contaminada, e se foi infectada deve entrar na contagem oficial de contaminados, não existindo motivos para ficar de fora, a não ser por uma manobra política do próprio gestor, para tentar enganar a população sobre a realidade do número de casos na cidade.
Deste modo, levando em consideração as 29 pessoas recuperadas pelo PSF atráves de protocolo precoce, mais os 132 casos divulgados na data de 22/05, o município terá ao todo 161‬ pessoas já contaminadas pelo coronavírus e não somente 132 casos.
Prefeito deve se explicar…
É necessário que o Sr Antônio Borba venha a público explicar para a comunidade Timbirense o motivo da apresentação de números duvidosos, que na verdade não refletem os números em sua totalidade. É importante que o Prefeito trate com seriedade as informações que são divulgadas, uma vez que é direito de todos ter ciência da progressão do vírus, até para que as pessoas continuem a tomar as medidas de prevenção.
Ascom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *