Flávio Dino revelou que está mais próximo de decretar uma quarentena total do que liberar o comércio, uma vez que os casos vem crescendo no Maranhão e os leitos de UTI e clínicos vão ficando ocupados.

Quanto as aulas, ele informou que no âmbito estadual, a suspensão provavelmente será prorrogada após o dia 12 de maio, mas deixou as escolas municipais e privadas para que tenham uma decisão dos prefeitos, gestores e pais.

O governador do Maranhão ainda informou que designou a formação de dois comitês, um na Grande São Luís e outro na cidade de Imperatriz para uma maior cooperação na crise do covid-19. E ainda pediu que UFMA, UEMA e UniCeuma antecipem a formatura de estudantes que estão prontos para conclusão dos cursos.

O Governo do Maranhão ainda anunciou que irá contratar estudantes de medicina em fim de cursos, para que eles possam ajudar no combate ao coronavírus. O Estado pagará uma bolsa mensal.

Flavio Dino ainda anunciou a necessidade de requisição de 40 médicos para atuar em UPA’s e UBS. Podem trabalhar, profissionais formados no país e aqueles que atuaram no programa Mais Médicos.

Quantos aos leitos de UTI foi anunciado que 20 vão ser abertos no Hospital Real (antigo Hospital Aliança) e mais 20 no Hospital Universitário (federal).

Outros 20 leitos clínicos vão ser abertos na Unidade Mista do Itaqui-Bacanga.

Mais um hospital particular será alugado, trata-se do Hospital Português, situado na região do Centro na Rua do Passeio. Não foi informado quantos leitos serão abertos com esse aluguel.

Mais 130 leitos clínicos vão ser abertos na próxima semana do Hospital Nina Rodrigues e na Clínica São José (alugado).

Um Hospital de campanha será construído no Multicenter Sebrae e levará três semanas para ficar pronto, onde ofertará 200 leitos para baixa e média complexidade.

Em Imperatriz, o governador anunciou que abrirá 12 leitos de UTI e 26 clínicos.

Aulas suspensas

O governador Flávio Dino anunciou que deixará a cargo de cada município para decidir sobre volta as aulas após o dia 12 de maio, mas em relação a rede estadual, envolvendo escolas e universidades, a extensão da suspensão das aulas será prorrogada e sem prazo para retorno.

Quanto a rede privada, Flávio Dino transferiu para os pais que dialoguem com as instituições para tomar as melhores medidas e decidir quando voltar.

Comércio

O governador anunciou ainda que está mais próximo de decretar um lockdown (quarentena), do que liberar a volta do comércio não essencial.

Mas lamentou as festas privadas que estão sendo realizadas, o que faz com que novos casos sejam notificados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *