São cem mil os que tombaram, são cem mil familias à lamentarem, são cem mil amores ausentes e muito mais amores em saudades.

Sem 100 mil amores

São cem mil os que tombaram, são cem mil familias à lamentarem, são cem mil amores ausentes e muito mais amores em saudades.

A pandemia fez desencarnar, avós, pais, filhos, netos… sem tempo para despedida .
Muitos rostos marcados pelas lágrimas sentidas. Lugares vazios , lares em silêncios, cada um com suas dores por ausência de seus amores.
Ah, meu Brasil teus filhos choram, lutam e resistem, até quando ?

Será que poderia ser diferente? Como saber?
Visualizo um sistema público de saúde resolutivo, profissionais capacitados, grandes investimentos na ciência. União de todos os setores da sociedade pelas demandas coletivas e soluções em parcerias, mas o pensamento é utópico.

Assistimos gestores públicos à medir forças, olhar a sindrome da Covid-19 com ar de “desdém “, quando muitos já abrigados na mãe terra, a perguntar “e daí?”, postura que faz aumentar o sofrimento dos que já têm amores ausentes.
Muitos a subtrairem erário, desumanizam-se ou nunca foram?

Agosto, na esteira da pandemia, covas em fileiras à esperar despejo de corpos. Ambulâncias em filas, hospitais sem vagas, profissionais exaustão, mais alguns vêm as chamas da vida a mercê… a luz já não brilha, chegou a escuridão!
Aos cem mil amores que tiverem sonhos interompidos, braços fechados aos abraços, sorrisos que não mais abrirão, olhos que em sono eternizam o navegar para outra dimensão, que sejam acolhidos pelo pai.

Aos hoje que hoje sentem por seus amores ausentes, meu abraço de fé, resiliência e esperança.

Ah! Como esquecer os profissionais da saúde, que fazem da luta o sopro para continuar a vida.

Em meio a pandemia, tenho na luta a esperança da vitória, será contínua até o triunfar da ciência sobre os males.

Minha pátria amada, assisto muitos canalhas usar o patriotismo como último refúgio, que Deus permita que o brotar em suas almas a consciência, mesmo que seja o ultimo ramo. Assim teremos homens com discursos e prática na mesma equação, lutando por um bem comum: preservar o amor de alguém… não há vitória sem luta.

*Advogado Dr. Nelson em agosto / 2020*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *